Icone para Eixo 3

Ação C - Tratamento de esgotamento sanitário

Ampliar e aprimorar o tratamento do esgotamento sanitário, procurando promover iniciativas regionais de aproveitamento dos resíduos por meio de sistemas de biodigestão

TRATAMENTO DE ESGOTO

(clique no ícone esquerdo superior para acessar a legenda e utilize o zoom do mapa para se aproximar das áreas e acessar suas informações) Localização das Estações e Tratamento de Esgoto (ETE) e indicação da precariedade do sistema de coleta de esgoto domiciliar.

A Política Nacional de Saneamento Ambiental prevê a universalização dos serviços de coleta e tratamento do esgoto através de planejamento sistemático pelas agências responsáveis. Entretanto a coleta de esgotametno sanitário ainda não atende todos os domicílios dos municípios da região e, pior, nem todo esgoto coletado é devidamente tratado antes de ser lançado nos rios ou no mar. A universalização deste serviço é uma ação necessária para o desenvolvimento social mais includente e para a democratização do território regional.

Além de a solução de tratamento tradicional não atender a totalidade do esgoto coletado, trata-se de uma tecnologia que tem como externalidade a elevada perda de água no processo de tratamento de esgoto. Neste sentido, soluções regionais ou o processo de biodigestão podem ser boas estratégias para ampliar a abrangência do tratamento de esgoto.

Clique no link abaixo para acessar o banco de dados elaborado pelo Observatório Litoral Sustentável com mais informações sobre as condicionantes ambientais vigentes e previstas para a região:

Plataforma de Condicionantes
FOCO
  • Ampliar e aprimorar o tratamento de esgotamento sanitário
PERGUNTAS ORIENTADORAS (E INDICADORES NÃO MENSURÁVEIS)
  • Como medir a ampliação dos serviços de coleta e tratamento de esgoto?
  • As estações de tratamento tem caráter regional ou tratam o tema de maneira municipal?

Indicadores

Porcentagem de domicílios com coleta de esgoto ou fossa séptica

Carregando gráficos...

Carregando tabela...

CÁLCULO (Total de domicílios conectados à rede de esgoto + Total de domicílios que utilizam com fossa séptica) ÷ Total de domicílios

FONTE Censo 2010 (IBGE)

Os mapas mostram os domicílios não atendidos pelo sistema de coleta de esgoto, com base na amostra do universo do IBGE 2010. Ele evidencia o grau de utilização de técnicas inadequadas de destinação de esgoto, decorrentes do déficit que a coleta domiciliar acumula, exibindo a porcentagem de domicílios que jogam seu esgoto em fossas rudimentares, valas, córregos, rios ou no mar. A camada que cobre todo o território dos municípios mostra a classificação percentual de domicílios não atendidos pela rede de coleta ou que não utilizam fossa sépticas na destinação do esgoto domiciliar.

O gráfico de barras mostra o dado complementar, ou seja, a quantidade de domicílios atendidos pela rede de coleta de esgoto ou fossa séptica. A fossa séptica foi somada a este indicador por ser, potencialmente, uma alternativa adequada de destinação do esgotamento sanitário em situações específicas como de assentamentos de baixa densidade.

Merecem destaque pelo baixíssimo índice de destinação adequada do esgoto os municípios de Ilhabela (37%), Cubatão (64%) e Ubatuba (68%).

Sobre estes dados, vale comentar que, embora a Sabesp (companhia de saneamento) indique que a totalidade do esgoto coletado é tratado, na realidade parte dele é lançado no mar por meio de emissários submarinos, o que este Observatório não considera adequado e portanto não classifica como tratamento de esgoto. Peruíbe e Mongaguá, por exemplo, não possuem Estação de Tratamento de Esgoto (ETE), o que implica no lançamento do esgoto coletado pela Sabesp no mar.

Também vale ressaltar que os índices de coleta de esgoto da Sabesp costumam indicar números muito maiores, porque a companhia não considera casas em assentamento irregulares como "domicílios atendíveis". Como o serviço de saneamento deve ser prestado à totalidade dos moradores, independentemente da situação de irregularidade de suas residências, este indicador utiliza os dados do Censo 2010 (IBGE) que considera o universo total de domicílios - ainda que deva-se ponderar o fato de que o dado apresenta a defasagem dos anos que correram desde a realização da pesquisa.

Você pode baixar este indicador nos seguintes formatos:

Dados tabulados:
XLS CSV JSON
Resultados por região:
XLS CSV JSON
Linhas das variáveis:
XLS CSV JSON